A consipiração dos pombos 1

Comecei a falar sobre isso no post de Bolt e espero que nenhum dos pombos que já estão de vigília em volta da minha casa descubra o que eu estou escrevendo aqui e me repreenda!


Todos dizem que as baratas seriam as únicas sobreviventes de uma guerra nuclear ou algo assim, mas com certeza elas vão ter que disputar o controle deste planeta com os pombos (isso sem contar com os zumbis, os alienígenas e os robôs)!
Eles já podem ser encontrados em qualquer lugar do mundo, comem qualquer coisa (qualquer coisa!) e se reproduzem muito rápido. Ao contrário das baratas, ainda tem gente que se simpatiza com eles (e até os alimenta!) e elas também podem voar muito mais.

Aliás, essa dieta peculiar dos pombos tem um propósito claro: produzir uma poderosa arma biológica capaz de desintegrar qualquer coisa. Não bastasse isso, todas treinam arduamente sua mira nas pessoas e a gente já tá achando isso a coisa mais normal do mundo.

Símbolo do paz? Não sei quem foi que inventou isso, mas com certeza essa pessoa foi coagida a espalhar essa ladainha porque corria risco de vida! E quem já desconfia delas está sendo vigiado ou já foi devidamente punido.
Duvidam? Vejam estas fotos!




O Mundo Canibal já produziu um importante documentário a respeito deste importantíssimo problema. Recomendo a todos assistirem!

Sorte a nossa que o movimento de resistência já começou com os cágados. Que criaturas valentes e ninjas!

Update: Segunda parte do post aqui!

4 comments:

Yumi disse...

quero um cágado!! *-* que ninja!! que fodastico!!!!

Ana Paula Bertoni disse...

Faltou a fotênha da Praça do Pombo! omg ahuahua xD

Miyu disse...

O Artur ainda não me mandou, hauha! Mas ainda vai rolar a segunda parte desse post, wah

Sonâmbula Insone disse...

Você sai de casa limpinho, com o cabelo ainda cheirando a shampoo e uma bomba silenciosa o atinge. Ao contrário das artilharias aéreas não naturais, a esquadrilha dos pombos geralmente ataca em silêncio.
É preciso haver um controle populacional dessas coisas o quanto antes.

Vim, li e gostei.