Adeeeeus ano velho...

Ayeh! Post com as coisas legais que me aconteceram em 2009! Não que seja lá grandes coisas, mas como já tinha dito antes, relacioná-las é um mal necessário. xD

Cachorrenhos novos na área: Afinal não conseguiríamos ficar muito tempo sem cachorro depois de perder o Willy e o Flick. Dois substitutos apareceram em casa como quem não queriam nada: Kellyenha e Luke - e já tomaram conta de tudo, heuhuehe. Não só nos devolveram a alegria de se ter animais de estimação por perto como também sanaram uma vontade que eu sempre tive de adotar ao invés de comprar.

Tive que montar as duas fotos juntas porque a Kellynha se recusa a ficar perto do Luke sem querer matá-lo =D

Juntei muita gente no meu aniversário: E foi melhor do que eu poderia imaginar. Acho que o meu lado social ficou satisfeito pelo ano todo, heh.

Voltei a fazer natação: Ok, não continuei fazendo o ano todo, foram só 8 meses, mas fiz todas as aulas que paguei e me diverti! E larguei por um bom motivo:

Comprei meu primeiro console e usei-o: Parece mentira, uma pessoa que se define como gamer ter seu primeiro console a essa altura do campeonato. Mas é que até então eu só jogava na casa dos outros, emuladores e portáteis. O único que tive antes do meu lindinho 360 foi um nintendinho que nunca consegui jogar por causa do sistema de Tv e blablabla. Ah sim, trai o movimento nintendista, véio.

Viciei em Rock Band: De verdade. De agosto até agora pulei do easy totales nuba pro quase Expert feliz. E na verdade, eu comprei o console do item anterior por causa de Rock Band, hehe.

É, o vermelho tá meio inchadinho...

Expandi pelo menos em alguns centímetros os meus horizontes musicais: Hmm... por causa do item anterior de novo, heh. O que importa é que ter variado a listinha do winamp foi muito bom - pena que minha conexão não colaborou mais para isso. x_x

Troquei o computador: Ano da tecnocracia e gastança feliz! Essa troca não tava nos planos, mas diante das necessidades da minha irmã, vendi minha máquina anterior e comprei uma nova: totalmente montada na Santa Efigênia - coisa que queria fazer a um tempinho. Ah sim, ela não terminou de me pagar ainda...

Mac fail xD

Diversifiquei minhas diversões: Além das já citadas, até consegui viajar, ir ao teatro algumas vezes e no Hopi Hari com aquela montanha russa maldita! ACK!

Não guardei quase nada de dinheiro: Deu pra perceber que foi muito ao contrário do final do ano passado, hehe. Mas valeu muito a pena, não me arrependo nem um pouco. Gastar pra ter coisas que eu tava namorando a tanto tempo foi muito bom.

Virei uma quase chefa de família: Pensei que teria ainda alguns anos de folga antes que isso acontecesse, por outro lado até que demorei pra me preocupar e resolver os problemas aqui de casa. Tá certo que resmunguei muito no processo, mas ainda bem que deu tudo certo. /o\

Consegui me manter nas minhas "férias de amores ui": Pode não parecer lá muito motivo de orgulho, mas elas eram muito necessárias. Foi bom pra ter mais tempo pra organizar as coisas aqui dentro e fora também. Não sei ainda se será necessário prorrogá-la...

Tive a impressão que upei: E só estou escrevendo este item aqui porque ouvi outras pessoas dizerem isso, hehehe. Não sei, eu me sinto melhor, então alguma coisa deve ter melhorado aqui. Infelizmente não posso dizer o mesmo sobre as minhas habilidades técnicas, também não estudei nada novo (de novo) e o blog ficou às moscas.
Mas também não dá pra se ter tudo nessa vida e o que eu consegui esse ano já tá de bom tamanho. \o/

Engraçado que fui ler o post do ano passado e eu cito que tinha 3 promessas em mente. Mas só lembro que uma era começar a fazer natação, as outras esqueci completamente, hehe. Logo nem vou me dar ao trabalho de fazer promessas! =D

O que importa é que todos tenhamos bons momentos e boas comilanças ao lado de pessoas legais para comemorar mais esta troca de calendário feliz, lalala! =D

Curtinhas russos de versus felizes

Desculpem-me, mas não sei russo e também não procurei saber. Só sei que comecei vendo um deles e agora estou viciada! Curtinhos, simples e geniais. Acho que vou me empolgar e vou colocar alguns dos que mais gostei por aqui.

Mario vs Pacman



Senhor dos Anéis vs Harry Potter



Leonidas vs Chuck Norris



Neo vs Skywalker



Van Damme vs Seagal



Worm vs. Darkwing Duck



Contador vs Designer

Rock Band 2: Endless setlist

Er... sim, foi isso que eu fiz durante o dia de Natal, hehe. Acreditem se quiser, mas eu cansei de tanto comer (!) e de jogar papo fora com o pessoal de casa e resolvi fazer a bendita setlist, que tava pendente a um bom tempinho. Só para esclarecer, se trata da última coisa que se tem pra fazer no jogo no modo World Tour e consiste em simplesmente jogar todas as músicas sem parar.

Quer dizer, se o maluco conseguir ficar quase 7 horas jogando sem parar MESMO, um achievement a mais é conquistado (algo como "parabéns vc tem bolas de aço" heuheuhe). Mas não tava afins de me matar (tanto) então joguei bateria, nível hard, com várias pausas e revezando com a minha sobrinha. Desse jeito não foi nem um pouco mortal e estamos melhor preparadas para as próximas (?!?!).

E o resultado disso é o ícone do personagem que ficou douraidnho. =D


Nah eu achei isso demais, hehe.

Uia, Natal!

Sinto muito gente, mas não curto muito sair distribuindo Felizes Natais e Boas Festas e tals. É muito melhor desejar uma boa comilança a todos, daquelas que você continua comendo bem depois da fome ter sido saciada, em uma mesa com a parte da família que realmente importa.

Mais ou menos como a que eu tive agorinha pouco, hehehe.


E que venha o segundo tempo amanhã. \o/

Que personagem de D&D voce seria?

Não concordo muito com o meu resultado (nunca joguei de wiz e não tenho tudo isso de sabedoria e carisma xD), mas o teste é interessantezin e beeem longo. Pelo menos aprendi algumas palavras novas em inglês. =D
Pior que nos detalhes do teste não apareceram muitos "quases". o_O


I Am A: Chaotic Neutral Human Wizard (3rd Level)


Ability Scores:

Strength-11

Dexterity-10

Constitution-10

Intelligence-12

Wisdom-18

Charisma-12


Alignment:
Chaotic Neutral A chaotic neutral character follows his whims. He is an individualist first and last. He values his own liberty but doesn't strive to protect others' freedom. He avoids authority, resents restrictions, and challenges traditions. A chaotic neutral character does not intentionally disrupt organizations as part of a campaign of anarchy. To do so, he would have to be motivated either by good (and a desire to liberate others) or evil (and a desire to make those different from himself suffer). A chaotic neutral character may be unpredictable, but his behavior is not totally random. He is not as likely to jump off a bridge as to cross it. Chaotic neutral is the best alignment you can be because it represents true freedom from both society's restrictions and a do-gooder's zeal. However, chaotic neutral can be a dangerous alignment because it seeks to eliminate all authority, harmony, and order in society.


Race:
Humans are the most adaptable of the common races. Short generations and a penchant for migration and conquest have made them physically diverse as well. Humans are often unorthodox in their dress, sporting unusual hairstyles, fanciful clothes, tattoos, and the like.


Class:
Wizards are arcane spellcasters who depend on intensive study to create their magic. To wizards, magic is not a talent but a difficult, rewarding art. When they are prepared for battle, wizards can use their spells to devastating effect. When caught by surprise, they are vulnerable. The wizard's strength is her spells, everything else is secondary. She learns new spells as she experiments and grows in experience, and she can also learn them from other wizards. In addition, over time a wizard learns to manipulate her spells so they go farther, work better, or are improved in some other way. A wizard can call a familiar- a small, magical, animal companion that serves her. With a high Intelligence, wizards are capable of casting very high levels of spells.


Find out What Kind of Dungeons and Dragons Character Would You Be?, courtesy of Easydamus (e-mail)

A Princesa e o Sapo


Finalmente a Disney voltou a fazer o que ela faz de melhor: longas de animação 2D com histórias infantis felizes. Espero que eles não deixem de fazê-las porque o desenho é lindo demais (novidade nenhuma). Tem uma sequência estilizada na parte inicial que eu babei muito e minha admiração foi ridiculamente visível, hehe.

Mas o legal em A Princesa e o Sapo é que eles voltaram a fazer um roteiro decente. Não aquela coisa espetacular que a Pixar faz, mas uma história coerente, honesta e com boas sacadinhas. Parece que finalmente perceberam que era isso que faltava nos filmes 3D deles, não se limitaram a contar apenas a história original e fizeram uma adaptação muito boa.
Ok, muitas cenas de musicais aleatórios (é alguém se apresentar, ou ter que explicar algo, ou estufar o peito que você sabe que vai começar a cantoria), talvez eu já não tenha idade para apreciá-las mais, mas talvez as crianças (e será que eu também?) estranhariam se elas não existissem.
Pessoalmente, adorei ver uma princesa que luta pelo que quer ao invés de passar pela vida esperando um príncipe rico e bonitão, hehehe.


Com tanta bomba em cartaz no momento (Lua Nova? 2012? AAAARGH!), um desenho de qualidade é como uma luz no fim do túnel nesses finais de semana cheios de pessoas nas ruas. Principalmente se for seguido de uma boa comilança, hehe.

Nunca mais vou em uma montanha russa

De verdade! Nunca nesse caso tá longe de ser uma palavra forte.
Adiei até onde pude minha visita ao lendário Hopi Hari. De fato o lugar é bem legal, me diverti em vários brinquedos (mesmo com um preju financeiro mala do ingresso e da comida). O calor desgraçado, as filas infernais e fedidas, a chuva que me pegou em um dos brinquedos e a consequente friaca também não foram legais, mas o pior mesmo foi a montanha russa.


Pra começar, foi a que tinha fila maior e com mais aborrescentes por metro quadrado. Além da minha costumeira dor nos joelhos por ficar muito tempo em pé e parada, ainda tinha o calor, o futum, as conversinhas nheca e os gritos (as criaturas se espalhavam ao longo da fila e ficavam gritando pra se comunicar). Acho que ficamos quase 1 hora naqueles corredorzinhos de matadouro - nossa, como essa analogia fez sentido, ick!

Então finalmente nos sentamos naquele carrinho duro e que não inspirava nenhuma confiança. A subida era absurdamente íngreme e infinita, que só serviu pra me deixar mais apavorada. Quando ela finalmente termina... potaquepareo!!! Que agonia, que sensação horrível! Deve ser porque eu tenho medo de altura, não sei, mas não achei aquilo nada divertido. Não vi graça nenhuma em parecer que eu ia morrer naquela queda do caramba ou nas curvas bruscas que me jogavam pra lá e pra cá (tanto que bati minha perna na lateral do carrinho e tá doendo até agora). Aliás esse chacoalhamento todo me deixou com uma dorzinha de cabeça chata pelo resto do dia.

Pelo menos a experiência serviu pra tirar a prova e pra concluir que eu jamais vou pagar uma grana preta pra saltar de para quedas. Ah, só pra ser mais desagradável, os caras tiram uma foto do pessoal na hora da descida e sorte a minha que o cara na minha frente ergueu os braços e escondeu a minha expressão de profundo horror, hehe.

Blecaute

Sei que a essa hora o tema já tá mais do que batido e todo mundo já reclamou, fez piadinhas, redirecionou links de notícias e tralala. Só que eu preciso tirar um pó desse blog e surgiu uma chance pra isso, hehe. Pronto, aviso dado. o/

Ontem a noite estava eu, feliz na frente do meu computador como todas as noites, no meio do meu turno de trabalho - afinal trabalhar durante o dia é um saquito quando se tem a opção de escolher que horas é o seu expediente.

De repente, as luzes do meu quarto começam a piscar loucamente e o nobreak começa a funcionar. A primeira coisa que penso é "OH HELL, um poltergeist na minha casa!". Logo depois a luz se apaga de vez. Olho pela janela e a vista inteira estava escura, exceto um clarão estranho que vinha do térreo de um prédio. Eis que surge a segunda ideia maluca: "OH FUCK, caiu um disco voador ali! Daqui a pouco vai começar a invasão!" /o\

Antes fosse, pelo menos seria algo emocionante! Na verdade era SÓ um blecaute que durou tempo suficiente pra me deixar em desespero. Admito, sou uma viciada incurável da energia elétrica. À noite, período do dia que eu estou mais agitada, sem computador, sem video game, sem tv com programa ruim, com receio de gastar as baterias do celular e do DS... foi terrível. Tentei dormir mais cedo, mas não adiantou. Acabei pegando no sono no mesmo horário de sempre, com a diferença que estava morrendo de tédio.

Claro, outros detalhes zensacionais da noite anterior envolveram vizinhos que saíram na rua pra assoviar ou pra fazer barulho com suas motos velhas. Afinal cada um lida com a situação e o tédio de maneiras diferentes e infelizmente alguns putos optam por estragar ainda mais as noites dos outros.

Isso porque estava no conforto do meu lar. Imagine quem ainda estava na rua, ou dentro de um elevador, ou dependendo de aparelhos hospitalares! Ou ainda nos putos master que se aproveitaram pra barbarizar por aí. Isso não se faz, somos todos muito dependentes dessa coisinha chamada eletricidade e da maravilhosa visão. Voltar à época das velas não tem nada de romântico, haha.

Foo Fighters Live Performance from Studio 606


Quando fiquei sabendo que, depois do U2 ter transmitido um show ao vivo pelo youtube, o Foo Fighters faria o mesmo, só que de um estúdio pelo facebook, endoidei. Queria muito assistir mas tinha quase certeza que as minhas conexões não aguentariam o streaming. Explicando: no momento tenho o Speedy, constante mas com velocidade baixa, e o 3G, de boa velocidade mas não tão constante assim.

Fiquei o dia inteiro de mimimi por causa disso, mas na hora da transmissão eu não aguentei e fui tentar assistir mesmo assim. Queria ver qualquer coisa, nem que fosse com imagem congelada e som picado. Para a minha total surpresa (e alegria \o/) o streaming estava rolando! A imagem as vezes congelava, mas o som estava constante e lindo!

Eu sei que sou muito boba, mas achei o bagulho demais, 2 horas e meia de diversão garantida! Fiquei pulando e cantando que nem uma maluca aqui, sozinha no meu quarto diante de um monitor. O show não poderia ter começado melhor: The Pretender! Simplesmente a música que me endoideceu foda um tempinho atrás (e que voltou a endoidecer porque vai virar DLC do Rock Band, UHUL!). Depois foi só alegria: My Hero, Times Like These, All My Life, Skin and Bones, Word Forward, Learn to Fly, Monkey Wrench, Breakout, Everlong, Low... Nuss, nunca pensei que reconheceria tantas músicas, haha! Bendita hora que eles resolveram lançar um CD de coletânea feliz. \o/


Legal também que eles tinham um laptop lá e acompanhavam o que o pessoal dizia no facebook - volta e meia rolava vergonha alheia porque apareciam mensagens de brasileiros sem noção, sorte que eles não entendiam hehe.
Enfim, poderia rolar mais esquemas como esse e principalmente um showzin básico do Foo Fighters aqui no Brasil. Eu iria me acabar fácil, uhuuuul!


PS: Agradecimentos especiais para tio Samuel, Ana e Chen, que aguentaram os meus chiliques em caps lock no msn. xD

Cachorro novo (de novo) em casa

Dessa vez a culpa não foi exatamente minha, hehe. Na noite da véspera do dia das crianças, fui abrir o portão pros meus amigos que estavam indo embora, quando reparamos que tinha um cachorro no portão. Como ele era bem magrinho, minha mãe deu um resto de ração que a minha cachorrinha não quis - e isso foi o suficiente para, logo depois, ele entrar na minha garagem e não querer mais sair de lá.
Pra não dizer que foi de primeira, ele até saiu um pouco enquanto perguntávamos para alguns vizinhos se sabiam de onde raios vinha aquele cachorro. Mas ficou o tempo todo perto do nosso portão e entrou de novo quando entramos.

Nessa hora eu já tava chamando o cachorro de Luke. Sei lá, foi o primeiro nome que me veio em mente, achei ele com cara de Luke e pronto! xD


Puxa, como não resistir a essa carinha?

Demos mais um pouco de ração e água e deixamos que ele passasse a noite na nossa garagem. No dia seguinte minha mãe abriu o portão pra ver se ele ia tomar o rumo da roça, mas a reação foi a mesma do dia anterior. Nisso reparamos que ele tava bem mal cuidado: além da sujeira e da magreza, ele ainda tinha muitas cicatrizes (que mais tarde descobriríamos que eram de mordidas de outros cachorros), pulgas e carrapatos.

Sabem, não tinha como deixar esse cachorro na rua de novo! Ele tinha escolhido a minha casa (ou melhor, minha garagem) pra ser a nova casa dele, não dava pra simplesmente trancá-lo pra fora e ignorar a sua existência.
Aliás não sei como tem tanta gente no mundo que tem coragem de fazer isso. Como uma veterinária nos confirmou, o Luke não tem jeito de ser um cachorro que nasceu nas ruas. Ele é bem sociável, não late à toa e sabe até andar com coleira. Prefiro pensar que o ex-dono dele o deixou fugir...

Enfim, como puderam perceber, não fomos nós quem escolhemos o cachorro dessa vez: foi ele quem nos escolheu. Novamente, por ter saído da sua, ele tem se comportado muito bem. Ainda se assusta com muita coisa (ele tem uma fobia inexplicável por mangueiras, mas não de água), mas já se sente em casa, fazendo até festinha quando alguém chega e faz até as necessidades no mesmo lugar que o Willy fazia oO. Depois de um bom banhão, virou outro cachorro. O pelo dele até brilha um pouco no sol, haha.


Eu adoooouro certas raças, acho o Golden fofíssimo, o Chow Chow demais e nem preciso dizer que meus olhos marejam toda vez que eu vejo um Samoieda. Mas com tanto cachorro por aí precisando de um abrigo, vou dizer que acho difícil daqui pra frente comprar um cachorro. Só se um Willy cair no meu colo por 100 reais, hehe.

Sei que foi meio doideira, pra não dizer bem arriscado, pegar o Luke do jeito que peguei. Mas tem muita ong que doa animais já vacinados e castrados (inclusive o Centro de Controle de Zoonoses, no caso de sampa) ou pessoas que por um motivo ou outro não podem mais manter seus cachorros. Eu entrava sempre nesse site antes de ter os meus dois pequeninos. Apesar dos meus cachorros não serem muito fãs, a Pedigree tem uma campanha legal sobre adoção também. Recomendo mesmo à todos que querem ter um cachorrinho feliz em casa que procurem por estas alternativas.

Campeonato de Guitar Hero 5 no Mais Voce

Quem diria hein? De vez em quando essa mulé surpreende, haha!
Tá certo que é meio tosco falar que é Guitar Game, pagar micão, aguentar a narração medonha da Ana Maria e do pseudo papagaio. Mas por um prêmio de 15, 10 ou 5 mil vale muito a pena, hehe. Sem dizer que rolar uma iniciativa dessas em um programa cujo público alvo não tem nada a ver com o jogo é muito legal.

Se tiver coragem suficiente e idade (entre 15 a 20 anos, hunfs), as inscrições ainda estão abertas - isso até o momento da publicação deste post.

Abaixo os dois vídeos que já estão disponíveis no site oficial do programa. O primeiro é a Ana Maria jogando You give love a bad name e o segundo já mostra a primeira disputa.



Up!

A primeira coisa que conclui assim que o filme terminou foi: "meo, a Pixar não sabe mais errar!". Começou certo no trailer, legal mas e que não entregava o ouro do filme. Logo, você vai assisti-lo sem maiores expectativas, achando que é só uma história sobre um velhinho maluco que resolve viajar com a sua casa usando balões de gás e que sem querer leva um molequinho mala junto.


Mas não, claro que a história não é só isso. Como estava desarmada, quase chorei nos primeiros minutos do filme. Depois me diverti horrores. Nem mesmo as crianças pentelhas que choravam e falavam com o filme estragaram meu humor. Aqui o ritmo é mais equilibrado, com momentos mais sensíveis e outros de diversão pura e descompromissada, ou seja, segue a velha filosofia Disney de ser um filme para família toda, mas com muita qualidade!

Nem preciso dizer que o visual é bom demais, puxa. Tá certo que não tinha lá muitos momentos em que o 3D foi usado a valer, acho que não precisava pagar mais caro pra ver as nuvens mais próximas. O que me deixou fula mesmo é que no cinema que eu fui (Kinoplex Itaim) não passou o curta Partly Cloudy! É muito absurdo assistir um filme da Pixar sem um curta bacanudo antes!

E também, como sempre, a dublagem estava ótima. Quem diria que o Chico Anysio surpreenderia a essa altura do campeonato? A voz da menininha Elle também é demais.

Tá, não disse novidade alguma, mas precisava registrar o quanto adorei esse filme, que eu ainda quero assistir de novo, e de como eu precisava ver algo bom assim no cinema! Todo mundo tem que ver Up!, todo mundo mesmo. E eu quero o DVD!

Esquilo!

Guitar Hero 5

Tive a oportunidade de jogar o mais recente Guitar Hero na casa de um amigo. Sim, não posso negar que estava pra lá de curiosa afinal a lista de músicas era muito tentadora e eu li muito por aí sobre as melhorias e novidades implementadas. Sabem, eu gostaria muito de dizer que o jogo é legal, porque tem algumas músicas nele que eu realmente queria jogar, mas não consigo.

Como o nome do jogo sugere, pra quem joga com a guitarra (e sozinho), o jogo é realmente muito bom. Em níveis mais altos, as sequências de bolinhas coloridas são insanas, dá pra mudar de nível no meio da música e blablabla. No meu caso, gosto de jogar de banda, com amigos ou online, e pra isso posso dizer que o jogo não presta.


• Os problemas com o layout continuam. O mais grave é o contador de combos e as barras que são discretas demais para serem percebidas pela sua visão periférica, o que leva a situações como não perceber quem na banda tá morrendo ou quando o vocalista morre (já que aparece só um ícone minúsculo de um microfone quebrado bem no topo da tela).

• Os especiais ainda são comunitários (ou seja, você pode acumular muitos especiais pra outra pessoa poder usar). Entre amigos eu sei que não tem problema, mas e se cair algum sacana na sua banda no online? Ah sim, e os indicadores dos especiais disponíveis ainda são ruins de serem percebidos.

• A linha do vocal realmente ficou melhor, mas não custava fazer uma setinha ou uma bolinha maior pra indicar o tom que o jogador está cantando. Joguei com dois microfones na banda e na maioria das vezes não dava pra saber qual era o meu e qual era do outro. Sem dizer que são poucos os momentos em que o vocalista pode ativar especial e a fonte escolhida não é nada funcional.

• O estilo e as cores continuam um desastre. Por exemplo, o pedal da bateria as vezes passava desapercebido por causa do pouco contraste com o fundo. Pelo menos a animação dos bonecos tem menos flashes de luz, o que nos causa menos ataques epiléticos.

Podem parecer detalhes bobos, mas que durante o jogo fazem uma baita diferença. Bateu uma vontade, ou melhor, necessidade tremenda de voltar pro Rock Band 2 e o seu layout limpo e resolvido logo na primeira música.
Não é o jogador quem tem que se conformar e acostumar com o jogo, mas sim o jogo que precisa melhorar a cada versão para tornar a experiência do jogador cada vez melhor.

Mastercard Rock Tour

Evento feliz da Mastercard bem bobinho, mas que eu e meus amiguichos não poderíamos perder: juntando 2 comprovantes de pagamento em qualquer estabelecimento do shopping participante, usando algum cartão da mastercard feliz, 2 pessoas podem subir no palquinho feliz e jogar uma música no Rock Band 2. Depois de pagar o mico, cada um ganha uma camiseta.

Camiseta e uma aparição gratuita da minha cachorrinha sonolenta e com a carinha suja ^^

Infelizmente não dá pra tocar qualquer música. Apesar de todas as músicas estarem disponíveis, só se pode escolher entre umas 12 lá que já foram pré-selecionadas. Eles também oferecem perucas ridículas e óculos escuros, mas recusamos educadamente. xD

Tocamos Everlong em um palquinho rodeado por pivetes que não estavam nem aí pra nós (uffs!) no Shopping Morumbi. Uma das guitarras tava com problema, só paletava pra cima e a bateria dava muita dó. Os bumbos estavam "inchados", por isso colocaram fita isolante pra consertar, e nunca vi um pedal mais mole. Claro que eu fui a pior da banda, mas o que interessa é que jogamos e ganhamos uma camiseta pra isso - lucrão, se pensar que eu jogaria de graça.

O mais impressionante de tudo isso é que o jogo tava rodando em um xbox 360! Custo a acreditar que eles não estavam revezando consoles, porque pra um bichinho desses aguentar o dia todo...

Dois filmes ruins em um fim de semana

Foram tão chatos que vou fazer um post só sobre eles. O primeiro foi no sábado, Inimigos Públicos. Claro que eu só fui assistir por causa do Johnny Depp e ele foi realmente a única coisa legal do filme, isso porque ele tava bonitão e não bizarro, hehehehe.

Eu deveria ter desconfiado que o filme era furada por se basear em uma história real. Nenhuma pessoa real tem uma vida interessante o suficiente pra fazer um filme de 2 horas e lalala ser legal de se assistir. Sem falar que pra durar esse tempo foi muita enrolação, sequências repetidas e cenas desnecessárias. E o Christian Bale estava mais sem sal do que nunca em um personagem beeeem nada.

Acho que a única coisa que salvou no filme foram algumas composições de cena bem feitas. Mas pra eu reparar nisso em um filme era porque ele tava muito chato. Inclusive cochilei em alguns momentos. Recomendo a todos que vejam apenas o trailer.



No domingo assisti Harry Potter e o Enigma do Príncipe por pressão dos amigos felizes. Bem que eu não queria gastar o meu dinheiro com isso. O roteiro ficou concentrado demais nos dramas romanticuzecos aborrescentes e de repente o filme ficou sério e sombrio.

As tentativas de acelerar o filme foram louváveis, mas enxugar o orçamento tirando as cenas de ação não foi uma boa ideia. Muita coisa ficou sem sentido mesmo pra quem não leu o livro, por questões lógicas mesmo.
Novamente, pra não dizer que não gostei de nada, os efeitinhos aquosos quando as imagens da penseira eram formadas eram muito estilosos e foram até usados nos créditos.

E isso tudo só me faz ter certeza que eu precisava muito de um Up ou Gake no ue no Ponyo esse mês nos cinemas, mimimi! xD

Tenho uma camiseta que apareceu no TBBT, uhul!

Revendo os episódios de Big Bang Theory, consegui não sei como reparar que eu tenho uma camiseta que o Leonard usa, u-hul! Confirmando no Sheldon Shirts, a camiseta aprece nos episódios 13 e 16 da primeira temporada e no 20 da segunda.


O mais engraçado é que ela não é uma das trocentas camisetas que eu acabo comprando no calor do amor à primeira vista. Essa veio parar no meu armário porque um amigo me deu porque a mãe dele comprou e ficou pequena demais. xD


Ok, eu sei que é inútil, mas eu achei legal e isso é o que vale, hehehe.

12º Festival do Japão

Sim, enquanto a qualidade da comida não cair, não vou deixar de ir neste evento feliz, hehe! Não vou falar muito sobre o evento em si porque acho que já falei o suficiente no post da edição passada.
Desta vez as condições estavam ideais: estava quente mas nem tanto, não choveu e não tinha tanta gente assim. Logo conseguimos andar, dar uma boa olhada nas barraquinhas, escolher e atacar sem maiores problemas.


Este ano conseguimos encontrar o maraviwonderful espetinho de shimeji com bacon, yuhuuuul! \o/
Foi o primeiro item da minha lista e sei que sai rolando do festival porque comi udon, tempurá com provolone, um frango frito que vinha com molho de gengibre e yakimeshi, tempurá de sorvete e muppy. Talvez eu tenha me esquecido de alguma coisa, o que é bom porque assim eu fico na incerteza sobre o tamanho do meu preju, hehe.


Gyudon, que vem junto com um potinho de tsukemono que aparece no fundo. Quem comprou foi a Yumi, eu não estava com coragem suficiente pra arriscar muita coisa nova.

Aliás gostaria de ter tirado mais fotos de comida, mas sabem como é. Simplesmente não deu tempo, hehehehe.


Não resisti e tive que tirar uma foto to makizushi feliz, mesmo sem ter comprado nada nessa barraquinha.


E durante a apresentação de taiko que assistimos...


... do lado esquerdo, o povão feliz perambulando pelas barraquinhas e comendo...


... e do lado direito, uma pessoa que conseguiu se isolar em um canto sozinha!

Duas materias otimas do ultimo CQC

A primeira sobre a falta de segurança e controle das bagagens nos aeroportos.
Dá até (mais) medo viajar de avião.




Se bem que essa segunda dá medo MESMO: é sobre pedofilia na internet.
Apesar de não mostrar nada, dá muito nojo e muita raiva desses safados. Mostra também como não é difícil encontrá-los.




Extras sobre esta matéria podem ser lidos no Blog do Tas.

Da-lhe burocraciazinha

- Alô? Gostaria de marcar uma reposição de aula.
- Não dá por telefone, só pessoalmente.
- Mas você não tem aí na secretaria uma planilha com os horários, onde você só checa se tem vaga disponível e anota o meu nome?
- Sim, mas só pessoalmente. Ou você pede pra alguém vir aqui pra marcar.
- Então é melhor mandar qualquer pessoa aí pra fazer isso do que fazer falando comigo agora pelo telefone?
- Isso mesmo, só pessoalmente.
- Por quê?!
- Porque sempre foi assim, senhora.

Bah, briga muito pequena pra se meter. Mas que dá vontade, dá.

Si Senor!

Para a minha sorte, o fail do festival do dia da pizza foi compensado. Tardiamente, depois de andar muito mesmo, mas foi. Lembramos que em uma das idas à Joaquim Floriano, passamos na frente de um rodízio de comida mexicana que parecia mui interessante - e que ficou ainda mais interessante depois das 3 da tarde.


Merecíamos uma surpresa boa depois de tanta camelagem! O ambiente do Sí Senõr (só descobrimos o nome depois que vimos os guardanapos personalizados, hehe) é muito bom e o melhor: é buffet! Você paga 26 reais e come quantos burritos, tacos, nachos, quesadilhas, entre outras cositas quiser.
Tá certo que essas coisas estufam o estômago que é uma beleuza, então nem pude experimentar os tacos, comi um burrito só e 2 quesadilhas. Aliás você pode escolher o que colocar no burrito, o que pra mim é ótimo porque não curto pimenta.


Er... eu sei que é estranho ir a um restaurante mexicano sem gostar de pimenta, mas eu gosto desses pratos mais populares sem pimenta mesmo. Por sinal, o sour cream de lá é ótimo, aprovadíssimo.

Ah sim, as fotos do lugar eu tirei do site oficial deles porque na hora da comilança a última coisa que me passou pela cabeça foi tirar fotos. Por sinal descobri que há outras filiais em lugares mais acessíveis (a Sra. Mic vai nos matar quando descobrir isso), o que permite que o Sí Senõr entre no nosso roteiro "fixo" gastronômico feliz, weee! \o/

Para terminar o dia, resolvemos nos presentear com uma bebida quente e feliz. Novamente falhamos quando escolhemos o Starbucks da Alameda Santos, mas criamos coragem para andar mais um pouco e ir até o Vanilla. O novo (pelo menos assim indicava o cardápio, que pra mim era novo também) Cioccolato Macadâmia é muito estiloso, além de gostoso, heh. E desse pelo menos eu me lembrei de tirar foto antes de atacar.

Festival do dia da pizza FAIL

Uma das coisas que eu mais gosto de fazer nessa vida é comer, preferencialmente se for em algum lugar com um bom custo benefício e comida boa. Por isso, já faz algum tempo, que eu gosto de ler notícias, até mesmo na TV, e ouvir referências sobre novos lugares pra forrar a pança. Afinal eu sou mesmo uma cobaia, lembram? xD
A estatística é legal comigo, geralmente eu me dou bem nessas experimentações. Mas não foi o caso do lugar que eu me propus a ir hoje.

Fiquei sabendo de um tal Festival do Dia da Pizza, que rolaria na Mooca neste fim de semana. Veja bem, reduto italiano paulistano para comemorar uma iguaria que dificilmente tem como ser ruim em uma festa de rua onde geralmente as coisas são baratas! Vi alguns sites com a seguinte descrição:

Barracas com vários tipos de pizzas (tradicional, frita, cone, forno a lenha, forno a gás, quadrada, salgadas e doces), atrações musicais típicas paulistanas e italianas, concursos, artesanatos e recreação infantil.

Quem não ficaria com os olhos brilhando ao ler isso?

Agora imaginem a decepção que foi ao chegar lá, depois de uma boa caminhada do metrô Bresser, e encontrar só UMA barraca de pizza, que só tinha QUATRO sabores diferentes (e dos mais básicos ainda) e cada fatia custava TRÊS REAIS?! Sem falar que tava tocando uma música sofrível e a barraca do yakissoba tinha mais variedades do que o resto da feireca.

Que transtorno! Tive meu almoço atrasado por umas boas horas e sorte a nossa que tinha uma feira ali por perto onde compramos pastéis pra acalmar um pouco o estômago. Pelo menos pastel de feira é sincero e nunca comi um que fosse ruim, heh.

Transformers: a vinganca dos derrotados

(Ou Transformers 2, que é muito mais fácil e todo mundo entende hehe)

A princípio eu não queria ver esse filme no cinema porque sabia que seguiria a mesma fórmula de filme de menino do anterior: robôs gigantes e estilosos se batendo, quebrando tudo que tem por perto e uma mulé totosa. Mas numa tarde de domingo, já tava fora de casa, sem vontade de voltar pra não fazer nada... resolvi ir.

E não é que o filme é isso mesmo? Só que de um jeito bem mais exagerado e viajado. Mesmo com dor de cabeça (ninguém mandou ver filme legendado sem os óculos, fiquei forçando a vista pra ler as legendas e deu nisso) e vontade de ir ao banheiro, não teve como não reparar em um monte de coisa mal feita. Inclusive as cenas desnecessárias com a Megan Fox, mas sei que sobre isso muita gente vai discordar, haha.

Infelizmente a sequência perdeu aquele tom surpreendente dos robozôes do primeiro.
As lutas estavam bem animadas como sempre, mas as vezes era tanto metal se batendo que era difícil saber o que tava acontecendo, ou então quem era o vilão e quem era o mocinho. Talvez isso seja problema meu de interpretação visual mesmo, heh. Pelo menos Bumblebee estava legal como sempre e desta vez chutando mais bundas. =D

Tinha muita coisa acontecendo no filme, enrolaram muito em partes inúteis e no fim tudo terminou meio corrido, inventaram coisa demais pra ser resolvida. As ausências da lógica e as pedrinhas que foram descaradamente copiadas e coladas digitalmente também me incomodaram demais.
Só que quem vai no cinema pra se divertir com um filme como esse não precisa e não deve reparar nessas coisas! Até porque ainda tem boas piadas - mesmo entre as cenas mais tensas.

Rock Band 2

Esse meu vício por rhythm games só acaba comigo.
Já faz um tempo que eu tava doida de vontade de jogar Rock Band. Até então eu tinha jogado Guitar Hero bem esporádico, um quase nada de Neo Drum há muito tempo atrás e às vezes eu canto no chuveiro. Imaginava como seria legal juntar os amigos pra acertar quadrados coloridos que vão passando pela tela da TV em instrumentos de brinquedo!

Finalmente alguém teve a coragem (e bota coragem nisso) de comprar o set completo. Faltou só mais uma guitarra pra funcionar de baixo, mas já tava de bom tamanho. Na primeira oportunidade, no último feriado, atravessei a cidade só pra poder ver qualé que era do jogo.
Posso dizer que superou muito as minhas expectativas, que já eram altas. É muito divertido, desafiador e com músicas pra lá de boas. Joguei por horas seguidas sem parar e sem perceber que o dia tava acabando, hehe.

Ontem joguei de novo. Pela quarta vez em 10 dias. Nem quero saber quantas horas isso significa na real, mas foram o suficiente pra terminar o jogo praticamente no nível médio - o que é muito bom se considerarmos que ninguém tem experiência em instrumentos musicais reais e eu não conhecia a grande maioria das músicas. E a empolgação ainda não passou: queremos mais músicas, jogar pelo menos no hard, passar os challenges...

É um passatempo caro, sem lógica, mas absurdamente legal!
Pra terminar, o vídeo de uma insana que jogou Livin' on a prayer sozinha, vocal na guitarra no expert. Por sinal essa música ficou ótima no jogo. xD



PS: Tentamos jogar Guitar Hero: World Tour, que também dá pra jogar de banda. Mas a interface e jogabilidade do Rock Band são muito melhores. Guitar Hero só é bom pra guitarra mesmo.

O que voce era na vida passada?

Tá certo que o site é um gerador aleatório de historinhas e que não dá pra aceitar isso mesmo que você acredito em vidas passadas. Mas quem sabe pode render algum entretenimentozinho beeeem passageiro ou, melhor ou pior ainda, fazer algum sentido?

Se quiser perder alguns segundos, clicae. O meu deu isso:

Your past life diagnosis: I don't know how you feel about it, but you were male in your last earthly incarnation.You were born somewhere in the territory of modern Quebec around the year 700. Your profession was that of a shepherd, horseman or forester.
Your brief psychological profile in your past life: Person with huge energy, good in planning and supervising. If you were just garbage-man, you were chief garbage-man.
The lesson that your last past life brought to your present incarnation: You are bound to solve problems of pollution of environment, recycling, misuse of raw materials, elimination of radioactivity by all means including psychological methods.

Enfim, não precisa ter sido um ranger na vida passada pra cuidar do planeta nessa ne?
E falando em rangers...

Rangers are watchful warriors who roam past the horizon to safeguard a region, a principle, or a way of life. Masters of bow and blade, rangers excel at hit-and-run assaults and can quickly and silently eliminate foes. Rangers lay superb ambushes and excel at avoiding danger.

As a ranger, you possess almost supernaturally keen senses and a deep appreciation for untamed wilderness. With your knowledge of the natural world, you are able to track enemies through nearly any landscape, using the smallest clue to set your course, even sometimes the calls and songs of beasts and birds. Your severe demeanor promises a deadly conclusion to any enemy you hunt.

When you catch sight of your quarry, will the transgressor perish by swift bow shots from a distance, or by the twofold blades that glint and glitter in each of your battle-scarred hands?

D&D Home Page - What Class Are You? - Build A Character - D&D Compendium


Juro, foi sem querer! xD

Ainda em ritmo de festa

Tá, o dia em do meu aniversário foi super normal mas legal. Depois disso ainda tive mais duas comemorações (e consequentemente mais dois bolos, heh). A segunda foi muito legal mesmo, foi muito perto do que eu já queria fazer há um tempinho e nem imaginava que conseguiria este ano. Tá certo que eu paguei um mico colossal, mas valeu a pena mesmo assim.

Meu ciclo de comemorações chegou ao fim com chaves de ouro: um presente que eu queria muito junto com um cartão que obviamente não fez os meus olhos marejarem. Sério mesmo, não marejaram nada, nadinha mesmo.
Waaah! >_<

Eu já falei, mas tô abobada ainda. Eu nem sei como agradecer esse presente, fazia muito tempo que eu não ganhava algo assim, que eu não me sentia tão feliz com isso. Você nem imagina como isso tornou aquele dia chuvoso tão especial! AAAAAHHH!!!


Valeu mesmo pra todas as pessoas que comemoraram o meu ano de vida a mais! =D
E sim, este post está uns bons dias atrasado, assim como vários outros, hehehe...

Pipoca com provolone!

Seguindo o embalo de um fim de semana cheio de comida da boa, resolvi dedicar um post a uma das melhores coisas que eu já vi na USP. Nunca estudei lá, mas passei parte da minha infância e às vezes ainda passo por lá. Sei que a primeira parte pode parecer estranha, mas é que naquela época a USP ficava aberta nos finais de semana pro pessoal passear e às vezes eu ia lá com a minha família. Era como se fosse um grande parque sem brinquedos.

E quando a fome batia, as opções que tinha era o cachorro-quente (outra coisa muito boa de lá) e a pipoca com provolone feliz. Além de ser muito boa, o tiozinho que a preparava era muito simpático e ainda dava uns provolones quando a pipoca demorava muito para quem estivesse esperando-a.


Muitos anos mais tarde, descobri que ele ainda estava por lá, fazendo a mesma pipoca com provolone. Só no ano passado passei no mesmo lugar que ele ficava e não o encontrei.

Fiquei muito triste por ter um item a menos na minha lista de comidas que me fazem feliz mas pra minha sorte isso não durou por muito tempo. Passando na frente do parque Villa Lobos, notei que uma das barraquinhas de pipoca indicava ter provolone e ser da USP. Não deu outra: era realmente o mesmo carinha, só que agora ele só vendia ali nos finais de semana. Comi tanta pipoca com provolone que meu estômago até estranhou um pouco, mas tava boa demais ainda!

É tão engraçado como essa sensação de nostalgia revivida é boa... xD

Retomando a briga com o Speedy


Depois de ter brigado pacas pela migração para um plano decente e de ter ficado alguns dias sem internet, resolvi voltar a brigar com a Telefonica.
Desta vez tomei o cuidado de ter uma alternativa de conexão caso tudo desse errado e eu partisse pra ignorância de cancelar o Speedy. Calhou também de ter acabado aquele maldito período de fidelidade sem sentido que eu entrei com as bagunças da tentativa de migração.

Como já tinha passado por muito perrengue, resolvi ser boazinha com eles. Primeiro busquei um jeito de capacitar a minha linha a suportar uma conexão melhor. Mas a central onde a minha linha se encontra estava muito longe e não poderia ser transferida para outra mais próxima nem que o papa pedisse.
Então queria cancelar a minha linha e ter uma nova, quem sabe de uma central mais próxima. Só que eles não poderiam garantir que isso acontecesse. E mais, ainda corria o risco de vir uma linha de uma central distante de novo e/ou não ter "slots" na central nova para um novo Speedy.

Sim, existem pessoas que estão em uma situação pior que a minha porque querem ter Speedy mas a central deles já está com o número máximo de conexões e elas precisam esperar que alguém desista! Fala sério, como pode acontecer uma coisa dessas?! E claro, ninguém ali do atendimento poderia checar a disponibilidade de linhas e conexões nas centrais perto da minha casa; daria no máximo pra saber se teria Speedy depois que eu já tivesse com a linha nova. Santa organização, batéma!

Pra piorar, mesmo sabendo que o erro é da Telefonica, eu não ganharia nem um puto de desconto na aquisição de uma nova linha: simplesmente porque o sistema não permite isso. Com tantos argumentos, tive que partir para o plano B: pedir um bom desconto pra continuar com essa bagaça.

A primeira atendente dizia não ser possível porque eu já tinha um super desconto de 12% (que significam na real quase 6 reais, u-hul!). Eu insisti: o erro é da empresa, eu queria pagar a mais pra ter uma conexão melhor, e tentei fazer isso de todos os jeitos, mas eles não tinham condições de resolver meu problema. Logo, quero uma compensação por isso.

Transferiram minha ligação pro santo setor de fidelidade Speedy e nem tive que apelar pro cancelamento da budega pra conseguir um desconto de 40%, o que me permite manter a conexão do Speedy e o 3G da Oi até o final da promoção. Até lá espero ter encaminhado alguns outros problemas que tenho aqui em casa e apelar pro Virtua pra me salvar (carambinhas, que fundo de poço! xD).

Só pra constar, pra chegar aqui passei pelos departamentos de suporte técnico, migração Speedy, vendas, cancelamento de linha, aquisição de nova linha, aquisição de novo Speedy, vendas (again) e fidelidade Speedy. Descobri 3 números 0800 que graças a deus usam o bom e velho (ou não) menu numerado - porque aquele maldito sistema de reconhecimento de voz do 10315 é uma merdis fodis! ARGH!!!
Até concluir algo também rolou muita informação desencontrada, um setor achando que o outro saberia como fazer mas não era bem assim. A minha sorte foi não ter pego nenhum ignorante de marca maior porque senão o bicho ia pegá, rapá!

E tudo isso só porque eu queria uma conexão legal, mimimi...

3G da Oi

Como muita gente já deve saber, a Oi começou a disponibilizar 3G aqui em São Paulo e pra variar embutiu uma promoção escandalosa pra atrair mais clientes. Os dois primeiros meses são gratuitos, depois o plano de 1 MB sai a 60 reais até o final do ano (com quota mensal de 10 GB), bônus de 15 reais na mensalidade por mês, modem baratinho, chip de graça e tudo sem multa.

Claro, como boa cobaia que sou, isso não só me pareceu tentador como também muito necessário, já que a conexão aqui em casa é precária demais pras minhas necessidades internetísticas básicas. E depois, pregando a bandeira da liberdade total, eu poderia cancelar nos dois primeiros meses e ficaria com um modem desbloqueado pra quem sabe um dia usar de novo.

Antes de mais nada, é necessário levar um comprovante de residência, RG e CPF. Digo isso porque atrasei em um dia a minha aquisição por causa do maledeto comprovante.

O procedimento na loja seria simples se não fosse a burocracia desnecessária e a atendente semi analfabeta. Principalmente por causa da atendente.
Demorei mais de 40 minutos lá porque era preciso preencher um cadastro no sistema eletrônico deles, dois formulários em papel (que não podiam conter rasuras, por isso a mocinha teve que preencher um deles 3 vezes e ela demorava pacas pra escrever) e ainda falar os meus dados por telefone pra uma outra central (que demorou porque a senhorita falou alguns dados errados).

Depois disso foi só pagar pelo modem (em 3x sem juros, heh) e correr pra pegar o ônibus antes do horário de pico.
Aliás ele é muito bonitinho e, colocando um cartão SD, serve como pendrive também.


Chegando em casa, foi só destacar o chip, colocar no minimodem e espetá-lo no computador. Disseram na loja que talvez demorasse um pouco pro sinal ser ativado, mas no meu caso ele já tava lá.

Apesar do discador já ter mostrado que o sinal estava no máximo em 51%, o download já chegou a 120 KB/s - o que me faz concluir que esse medidor aí é meramente ilustrativo. Também o testei em dias de chuva e funcionou normal, sem interrupções. Mesmo quando o sinal abaixa pra 38% (o mais baixo que eu vi aqui), a conexão é moooointo melhor que o meu Speedy.

Não posso sair recomendando o serviço pra todo mundo porque ele pode não ser uma boa opção pra qualquer um. Como eu disse, pra mim valeu porque meu Speedy fede, tô longe de gastar a franquia de 10 GB e o sinal aqui pegou legal. Mas tenho que admitir que adquiri o 3G da Oi com os dois pés atrás porque sou do tipo "quando a esmola é muita, o santo desconfia". Sorte a minha que acabei satisfeitíssima.

Assim sendo, depois de alguns dias de teste, eu tinha em mãos a arma que eu precisava para voltar a brigar com a Telefonica...

1/4 de século

O primeiro parabéns foi de um grande amigo.
Acordei mais cedo do que pretendia.
Acho que minha cachorra percebeu que hoje é meu aniversário porque estava incrivelmente grudenta.
O tempo estava perfeito, com um céu limpo e bem frio.
Minha irmã teve que passar no pronto socorro, ainda bem que não era nada grave.
Fiquei em stand by por tempo demais, mas não foi ruim.
Meu site favorito de camisetas entrou em promoção. Tem duas que estão me chamando, shit.
Comecei a usar minha bolsa nova, ela é bem espaçosa e prática.
Usei meus novos anéis também. Adoro anéis.
Fui no mercadinho e não achei o que queria.
Fui pro trabalho e voltei logo.
Comprei trufinhas pro pessoal de casa. Simplesmente porque deu vontade.
Minha mãe fez muita comida boa e minha irmã comprou um dos meus bolos favoritos. E estava bem fresquinho.
Família toda junta, muita conversa fora, estômago bem forrado.
Recebi menos felicitações do que imaginei, mas não encanei com isso.
Não ganhei nenhum presente.
Assisti CQC à noite.


O dia foi normal e ao mesmo tempo especial.
Gostei muito, heh.


Post relacionado:
A Miyu faz anos, o azar é só dela

Personagens eternos: Sheldon

Já repararam como existem personagens tão marcantes que você não consegue imaginar o ator ou atriz fora deles?

O Sheldon, de Big Bang Theory, é um deles e talvez seja o pior caso que eu conheço. Jim Parsons ganhou o personagem no primeiro teste porque ele nasceu Sheldon! A minha teoria apenas se confirmou quando resolvi procurar alguns dos seus trabalhos anteriores no youtube.



Neste segundo então, não resta a menor duvida.



Se alguém por aí teve mais paciência do que eu e encontrou algum vídeo onde ele esteja bem diferente do Sheldon, por favor não me mande o link porque não quero que a magia se desfaça, heh.

The Nerd Test

Interessantezinho e pra lá de conveniente para o dia de hoje. Clica aqui pra ir lá, heh.

Meu resultado:

Nerd comum
Voce eh um nerd.(ponto)
Sua personalidade, atitudes e passado denunciam sua categoria. No entanto, sua nerdisse eh moderada e sem picos notaveis. Se a terra fosse formada de nerds voce seria um chines.

Non-nerd points: 16%
Nerd em geral: 36%
Nerd escolar: 26%
Nerd vicios: 41%



Para saber mais sobre as festividades da presente data (um pouco atrasada, heh):

Geek Pride Day
Towel Day

Museo Nazionale del Fumetto

"Quadrinhos são arte. Só são mais engraçados."

Tenho a impressão que já postei peças gráficas deste museu por aqui, mas não encontrei no histórico. Enfim, achei legal. \o/




by ScaryIdeas

Galeria dos Pães


Depois de muita enrolação e bajulação, além da enrolação básica para escrever este post, deixei a muquiranisse um pouco de lado e passei uma tarde na Galeria dos Pães. Sim porque o preço para se ir lá durante a tarde de um fim de semana é consideravelmente chato logo de cara, mas vendo o lugar dá pra entender porque.

É simplesmente uma coisa linda de deus. No térreo fica a parte da padaria em si, com muita coisa que parece ser muito boa à venda. Tem até produtos industrializados importados e um balcão para matar a vontade de comer ali mesmo.
Mas meu objetivo era o mezanino, onde o que manda é a lei da gula feliz: pague um valor fixo e coma até morrer. Depois ressuscite e coma mais um pouco, heh.


Olhando essas sopinhas e considerando que é uma padaria, confesso que meu estômago não deu muito crédito. Mas a variedade e a qualidade de comidinhas é muito boa, você experimenta um pouco de cada, depois pega os que mais gostou e quando cai na real já está todo estufado. Também tem uma boa variedade de chás quentes, heh.

O ambiente é bem tranquilo, dependendo do horário rola uma música ao vivo, mas pelo menos não é nada medonho como aquele cantor do Pateo da Luz (será que o infeliz ainda tá lá aos sábados? Eu deixei de ir nesse rodízio por causa dele e, principalmente, porque ainda tinha que pagar o couvert artístico, desgramado!).

A Galeria dos Pães também é 24 horas, ou seja, uma senhora ótima opção de lugar para se abrigar na madrugada. É mais próxima da Avenida Rebouças que da Paulista, mas nada muito absurdo.


Fichinha feliz:
• Endereço: Rua Estados Unidos, 1645 (esquina com a Haddock Lobo)
• Telefone: 3064-5900
• Para os motorizados: há estacionamento gratuito
Site oficial

Dicas felizes de limpeza externa de PCs para preguiçosos

O título é de impacto, mas antes de mais nada quero deixar bem claro que não sou profissional e nem muito entendida do assunto. Ok, eu ajudo na limpeza da minha casa há mais de uma década e sempre fui a única responsável pela limpeza do computador - todo mundo achava que era uma máquina misteriosa que poderia explodir se fosse tocada de maneira errônea. Na verdade, eu ajudei a construir esse mito para manter as pessoas longe da minha querida máquina, mas isso não vem ao caso agora!

Resolvi escrever este post feliz porque eu sei que tem muita gente por aí que não liga a mínima pra limpeza do seu fiel companheiro de todas as horas, o computador. Isso sem falar no pessoal que come enquanto o utiliza sem maiores pudores. Eu comecei a me preocupar com isso quando um belo dia, com a máquina desligada, eu dei uma boa olhada para ela e seus periféricos.
A conclusão foi "como eu estava colocando as minhas mãos NISSO até hoje?!".

Como estamos falando de usuários preguiçosos, comprar aqueles plásticos protetores não adianta nada. Simplesmente porque nós não vamos nunca nos lembrar de colocá-los depois do uso e, se outra pessoa da casa se lembrou de fazê-lo, nós teremos preguiça de retirá-lo sempre antes de começar a usar de novo. Isso só funciona para aqueles periféricos que não usamos sempre, como o scanner e a impressora. Não precisa ser o protetor de plástico "oficial", pode ser uma toalhinha florida feliz que já ajuda bastante.

Uma das maiores inovações neste sentido foi, com certeza, a popularização dos gabinetes, teclados e mouses pretos. A poeira pode aparecer mais fácil, mas pelo menos não ficam escandalosamente encardidos para sempre.
Sem falar que ter tudo preto é clássico, estiloso, emagrece e nunca sai de moda, meu amor.

Este da foto ainda tá bonitinho, mas daqui um tempo...

Para realizar a faxina, serão necessários apenas 3 coisas: um pano, ou flanela, umedecido apenas com água; outro pano, só que seco e um aspirador. Existem produtos de limpeza específicos para cada periférico no mercado, como para monitores LCD, acho que eles devem ser muito interessantes mas, novamente, estou levando em consideração que o faxineiro em questão seja um preguiçoso como eu, heh.
E claro, nem pense em usar outros produtos de limpeza porque não vai dar certo!

Limpar tudo com o pano umedecido para tirar o pó é básico. O pano seco serve para tirar aquelas poeirazinhas que insistem em ficar e pra deixar a tela do monitor lisinha, sem as "pegadas" do pano. A faxineira do lugar onde eu trabalhava parecia que passava o pano que ela usou pra limpar a cozinha no meu monitor. Era medonho ver os círculos desenhados pela GORDURA quando eu ligava o PC.

Já o aspirador serve para limpar os mais difíceis: o teclado e o mouse.
Eu costumo virar o teclado de ponta cabeça e chacoalhá-lo para fazer a sujeira que tá lá dentro cair. Mesmo assim ainda passo o aspirador, sem nenhum bico, pra tirar sujeirinhas que possam ter sobrado e a poeira que fica nos ladinhos das teclas. Nem sempre é suficiente, mas acho que os preguiçosos se contentam em só passar um pano por cima das teclas pra finalizar.

Se alguém ainda usa mouse com bolinha, não tem como fugir do trabalho de abrir, retirar a bolinha e catucar lá dentro pra sujeira desgrudar. Independente disso, ainda tem a sujeira acumulada entre os botões, scroll e frisos. Às vezes é preciso cutucá-la também usando um palito de dente, ou, no caso do scroll, de passar um pano umedecido antes. Não é necessária precisão cirúrgica pra isso, é só cutucar pra facilitar o trabalho do aspirador mesmo.


Deu pra sacar que o aspirador salva a pátria né? Se quiser aproveitar o embalo, ele também pode ser usado pra limpar o interior do gabinete, só que com muito mais moderação. De vez em quando essa limpeza é necessária, pode até melhorar o desempenho e com certeza ajuda no barulhão que a sua máquina pode estar fazendo.

Com os cabos eu não tenho muita paciência não. Só alguns deles estão com os excedentes presos com araminhos e vez ou outra eu passo o aspirador lá na parte de trás da mesa pra tirar o grosso. E só de vez em nunca que eu os limpo direitinho com pano; geralmente preciso de um motivo maior como quando eu vou trocar algum periférico por um novo ou mudança de residência.

Espero que tenham pelo menos se entretido um pouco com este post e se ele for de alguma ajuda, será melhor ainda! \o/

Camisetas randômicas

Lá vou eu fazer mais um post sobre estampas de camisetas felizes. Mas, vejam bem, essa coisa é muito viciante. Será que alguém por aqui já sacou que eu entrei em um caminho sem volta? hehehe.

No caso do tema deste post, a situação é ainda mais complicada porque o preço fica ainda mais baixo e é no RANDOM!
Sim, eu adoro randoms! Desde escolha de personagens de luta até ordens de músicas no mp3. Por que não adoraria com estampas também?

A primeira que comprei foi da Tee Fury. Esse site tem o esquema estranho e ingrato de disponibilizar apenas uma camiseta por dia, impedindo assim que você compre as outras anteriores. Logo o random é ainda uma chance de ouro de conseguir uma estampa que você deixou passar. Eu recebi esta daqui, que não é uma brastemp mas eu gostei.

Depois foi a da Design by Humans. Foi a primeira vez que comprei nesse site porque geralmente as blusinhas são mui caras, principalmente porque a maioria esmagadora delas são mui fuedas. Recebi esta daqui, que é brilhantinha e ainda tem a ver com um tema super in de novela das 9, u-hul!

Mas na terceira eu me dei mal. Já havia comentado em um post anterior que comprei na shirt.woot e que tinha dado tudo certo. O frete é o mais barato de todos, porém o mais demorado. Tinha comprado duas camisetas random e nem sinal da minha encomenda 5 semanas depois da compra.
Mandei um e-mail relatando o ocorrido e, para a minha total surpresa, me responderam um pouco depois, desculpando-se pelo erro e uma promessa de re-embolso.

O quê?!?!?! Sem brigas, sem ter que provar nada? E o re-embolso ainda apareceu na fatura do cartão no mesmo dia? Jezuis, não tô acostumada com esse padrão de atendimento! Ainda mais em uma compra online gringa, coisa sobre a qual eu era mui cismada.
Claro que preferia ter recebido minhas camisetas, mas por essa resolução tão rápida e eficiente, além das estampas bacanudas, continuo recomendando o site. \o/


Posts relacionados:
Mais camisetas
Camisetas felizes

Bem vinda, Kellynha

Quase dois meses depois de ter perdido o Willy, vi que já tava na hora de ter outro cachorro por aqui. Dessa vez minha mãe queria que fosse um pequeno, que pudesse ficar dentro de casa e lalala. Na verdade ela sempre quis um cachorro assim, por isso tínhamos comprado o Flick - pena que o bicho tinha mó fogo no rabo e perdeu uma bela chance de ser tratado com um bibelô.
Sempre quis também adotar um cachorro ao invés de comprar um. Tá certo que filhotinhos de raça são super fofos e tudo mais, só que pra eles tem demanda de sobra. E tem muito cachorro ainda por aí precisando de cuidados e carinho.

Coincidentemente, a tia do namorado de uma amiga minha precisava doar alguns dos seus cachorros porque a situação financeira dela não permitia manter 4 shih tzus, além de um paulistinha, um gato e um papagaio. A menorzinha deles, branquinha e super carente conquistou rápido o pessoal aqui de casa, e só por fotos, hehe.

A história da família é demais. Ano passado, um casal de shih tzus apareceu na porta da casa deles, abandonados, sendo que a fêmea já estava grávida. Foram acolhidos, mas mesmo assim dois filhotes não sobreviveram provavelmente por causa de maus tratos. A Kellynha e o irmão dela, Wolverine (heuheuhe, igualmente invocadão xD), foram os dois que sobreviveram.

Fomos buscá-la no sábado e a tarefa não foi nada fácil. Uma coisa é você pegar um cachorro que precisava de um lar e fica todo feliz e esperançoso quando encontra um. Outra bem diferente é pegar um que já tinha um lar, donos que o tratavam bem e que sentiam muito por ter que apelar para adoção.
Fiquei com muito receio que ela não se adaptasse, mas estamos indo muito bem. Minha sobrinha está completamente boba com a cachorrinha e fica com ela o tempo todo.

Aí está uma das primeiras fotos que tirei da Kellynha. Tivemos que tosar todo o pelo dela porque estava com muitos nós, ficou irreconhecível! De costas parece até um filhote de labrador, heuhehe!


Gravamos até um videozinho pelo celular, onde dá pra ver a cara enrugada e preguiçosa dela, roncando muito.

Mais um periodo offline

Aaah mas eu adoro a Telefonica!
Estou postando do estúdio só para avisar que vou ficar um tempo offline. Dessa vez não foi só o Speedy que morreu, foi a linha telefônica toda mesmo.

Ontem à noite, eu tava feliz e contente no meu computador quando a conexão morreu. Normal, achei que voltaria mais tarde, mas nem voltou. Fui reparar meia hora depois que a linha também estava muda. E que lá embaixo na sala também.
Liguei para a Telefonica pelo celular, fizeram os testes (ou pelo menos disseram que fizeram) e constataram que o problema era na minha casa e não na central deles. O que é muito estranho porque a gente não fez nada na fiação para que a linha morresse de uma hora pra outra. Aceitei que enviassem um técnico pra minha casa (mesmo sob cobrança de 5 reais na conta) pra ter alguma chance de resolver o problema.

Claro que depois eu brigaria por esses 5 reais. Nem tanto pelo valor, mas pelo fato de cobrar da gente por algo que eles têm a obrigação de fazer, ou pelo menos manter funcionando. Afinal a gente não paga pouco por mês pelo serviço que recebemos.

Hoje de manhã resolvi ligar novamente pra ter uma segunda opinião e eis que a atendente (uma topeira por sinal, que só sabia ler o que estava escrito no sistema) me informa que o problema é na minha região e que até amanhã às 11 horas a minha linha volta a funcionar. Ou seja, demoraram pra sacar o problema e ainda vão demorar ainda mais para resolvê-lo. QUE BOM HEIN?

Desconfio que tenha a ver com uma mega fogueira que uns berebentos sem mãe tenham feito perto de um poste na quadra debaixo.

Depois dessa vou retomar a minha briga por uma conexão melhor. AAAARGH!!!

Cuidado com os pequenos cães


Em breve, um post dedicado à nova integrante da família. :3

Rugby feminino


Não resisti em tirar uma foto desta chamada. Na verdade eles sempre anunciaram isso no quadro de avisos do prédio onde estudei mas eu nunca tinha uma câmera disponível para registrar. Sempre fiquei pensando se alguma pré arquiteta, publicitária ou designer teria culhões para encarar isso.
Sim, pensei em procurar por vídeos no youtube, mas sabem como é, a ignorância é uma benção.

A peruca de Silvio Santos

A revelação do ano, em rede nacional!



Essa menina é um anão disfarçado enviado pelo demônio mesmo, credo!
Só sei que ri como uma condenada quando vi isso no CQC desta última segunda, hehehe.

Trava-línguas

Mais uma tranqueira que encontrei perdida nos meus arquivos, provavelmente da época que eu recebia e-mails de conhecidos. Nem quero desafiar ninguém com isso porque eu não passo nem do nível fácil, heh.

NÍVEL FÁCIL:
1. Xuxa! A Sasha fez xixi no chão da sala.
2. O rato roeu a roupa do Rei de roma a rainha com raiva resolveu remendar.
3. Três pratos de trigo para três tigres tristes.
4. O original nunca se desoriginou e nem nunca se desoriginalizará.
5. Qual é o doce que é mais doce que o doce de batata doce? Respondi que o doce que é mais doce que o doce de batata doce é o doce que é feito com o doce do doce de batata doce.

NÍVEL MÉDIO:
1. Sabendo o que sei e sabendo o que sabes e o que não sabes e o que não sabemos, ambos saberemos se somos sábios, sabidos ou simplesmente saberemos se somos sabedores.
2. O tempo perguntou ao tempo qual é o tempo que o tempo tem. O tempo respondeu ao tempo que não tem tempo para dizer ao tempo que o tempo do tempo é o tempo que o tempo tem.
3. Em baixo da pia tem um pinto que pia, quanto mais a pia pinga mais o pinto pia!
4. A sábia não sabia que o sábio sabia que o sabiá sabia que o sábio não sabia que o sabiá não sabia que a sábia não sabia que o sabiá sabia assobiar.

NÍVEL DIFÍCIL:
1. Num ninho de mafagafos, cinco mafagafinhos há! Quem os desmafagafizá-los, um bom desmafagafizador será.
2. O desinquivincavacador das caravelarias desinquivincavacaria as cavidades que deveriam ser desinquivincavacadas.
3. Perlustrando patética petição produzida pela postulante, prevemos possibilidade para pervencê-la porquanto perecem pressupostos primários permissíveis para propugnar pelo presente pleito pois prejulgamos pugna pretárita perfeitíssima.
4. Não confunda ornitorrinco com otorrinolaringologista, ornitorrinco com
ornitologista, ornitologista com otorrinolaringologista, porque ornitorrinco, é ornitorrinco, ornitologista, é ornitologista, e otorrinolaringologista é otorrinolaringologista.
5. Disseram que na minha rua tem paralelepípedo feito de paralelogramos. Seis paralelogramos tem um paralelepípedo. Mil paralelepípedos tem uma paralelepipedovia. Uma paralelepipedovia tem mil paralelogramos. Então uma paralelepipedovia é uma paralelogramolândia?

NÍVEL IMPOSSÍVEL:
Verbo Tagarelar no Futuro do Pretérito
Eu tagarelaria
Tu tagarelarias
Ele tagarelaria
Nós tagarelaríamos
Vós tagarelaríeis
Eles tagarelariam


Legal esse gif, até xD