11º Festival do Japão

(Patrocinado pelo Bradesco, coisa que eles deixavam bem claro a cada 5 minutos no auto falante, hehe)

Como eu havia dito na prévia para o Festival, eu sabia muito bem o que estava me esperando: muitas filas, muitas bachanzinhas forgadas, colônias maledetos, as mesmas atrações sem graça, solzinho fdp e o pior de tudo... a chance de sair de lá sem comer udon!

Pensando nisso, combinei com meus corajosos companheiros de nos encontrarmos às 10 horas da manhã no metrô Jabaquara no sábado. Vocês não tem idéia do sacrifício que isso significa! É necessário madrugar, pratecamente acordar com as galinhas para se estar nesse horário em um lugar tão distante do meu lar doce lar. E ainda por cima em um sábado, dia oficial de se acordar na hora do almoço. Por isso, ninguém além da valente Yumi chegou no horário, hehehehe.

Esses ônibus ou tranzinhos ou whatever bem que poderiam ter dado uma carona pra gente, mas tavam tocando Jota Quest, ARGH!

Optamos por ir e voltar do Festival a pé porque as filas para os ônibus gratuitos que saiam do metrô eram absurdas. Além de estarem já cheias de velhinhas, o que significava que além de demorar pra conseguir entrar em um ônibus, com certeza ficaríamos de pé mesmo. Não era longe, mas sol e subidas chatinhas durante o caminho da volta, de estômago forrado, é coisa mais que suficiente pra me derrubar.

Chegamo, carai!



Graças aos céus o festival em si foi melhor que o esperado. Foi cansativo pacas, andamos muito lá dentro, mas foi legal. Principalmente porque conseguimos comer um udon de excelente qualidade! UHUUUUUUUUUUL!!1! Ow coisa linda de deus! Sem falar que na hora que chegamos, não tinha fila e até conseguimos uma mesinha para devorar nossos lindos udons. Ah sim, o que comemos era da província de Iwate, mas acho que teve um ano que comemos de Kagawa (conclui isso depois que lembrei dos kimonos que os carinhas dessa província usavam, hehehe).

UDOOOOOOOOON!!! *-* Valeu Artur pela foto!

Além de udon, consegui comer um tempurá master que estava muito melhor que do ano passado (crocantinho ^^) e um clássico tempurá de sorvete (embora este ano estivesse sem origami decorativo, mimimi). Não encontrei os malditos espetinhos de shimeji com bacon, mas a minha irmã que foi no domingo disse que achou! Sacanagem, será que a gente tava tão leso assim? Alguns de nós também atualizaram suas coleções de mangá e compramos mupys mega baratinhos (tava em promoção, compramos 22 de uma pancada só e confudimos pra caramba o tiozinho com os sabores, hehe).


Buraco quente, 4 reais. E o Mic experimentou, huhuhu!

Concluindo, saldo positivo! E já que eu vou nesse festival há um número considerável de anos, ano que vem vou de novo só pra comer quase as mesmas coisas que como todos os anos, uhuhuhu!!!

3 comments:

Mic disse...

O buraco quente tava gostosinho e quentinho... bem delicioso pra se saborear lentamente e sem pressa. xD

Ana Paula Bertoni disse...

Vixe, Mic... quem te viu e quem te vê, hein?! ù_u
Essa vida de garoto de programa tá corrompendo a quiança... olha só no que dá vir pra SP! asdhjashdkashd xD

Yeaaahhh! Apesar da "lonjuuuura" valeu, pq tava mui bão. Comidaaa!!! O lulão gigante também tava uma delícia, pena que vcs não curtem, nyohohohoho!

E eu sou mais fã ainda de Mupy agora que descobri que eles não usam cochonilha nojentaaa! uhuuuu!
/o/

Francisco Yamauti disse...

eita nois, vc foi eh?
tha, meio old comentar aqui mas..eu trabalhei lah os 3 dias! e nas catracas! será q vc chegou no unico momento em q eu saí pra ir almoçar? hahah