Um dia ruim no trânsito

Todo mundo sabe que trânsito em "cidade grande" é um porre, principalmente quando essa cidade é São Paulo. Congestionamentos, barberagens e gente mal educada é fato corriqueiro, estranho seria sair de casa sem ver nada disso. Mas, carambinhas, hoje foi O dia pra não depender de ônibus - embora eu ainda ache que o trânsito seria infinitamente pior se eu me aventurasse no volante.

Pra começar, eu não entro no trabalho em horário de pico (yuhuuu \o/) e estranhei que o ônibus já não tava andando muito bem logo depois que eu o peguei. Na verdade, demorei meia hora a mais da meia hora que eu gasto pra chegar no ponto que desço. Isso porque aconteceu um acidente envolvendo moto e ônibus (combinação desastrosa, principalmente por causa do mob de motoqueiros que brota da terra nessas ocasiões) no estratégico encontro de duas avenidas que também é o início do corredor de ônibus feliz.

Do ponto de ônibus até o estúdio, atravessando uma 5 quadras, quase fui atropelada duas vezes. Primeiro por um palhaço que vinha pelo cruzamento, parou porque não tinha como entrar na avenida, mas depois teve a brilhante idéia de avançar nos pedestres e depois por um lesado que estava na segunda faixa e resolveu subitamente virar na rua que eu estava atravessando.

Final do dia! Esperei uns 40 minutos ou mais pelo meu ônibus favorito que me leva de volta pra casa - porque os alternativos até passaram antes, mas todos bem recheados. Estava sentada e ouvindo minha musiquinha, ônibus correndo a milhão, graças a deus, e eis que ele continua na avenida quando na verdade tinha que ter virado a esquerda!
Foi muito legal o coro de "OOOOOOOOW!!!" dos passageiros, mas não foi nada legal a manobra no meio da avenida que o cara fez pra voltar pro caminho certo, fechando as duas pistas de ambos os sentidos. Fiquei chocada principalmente porque *momento pica-pau* em todos esses anos pegando essa linha, é a primeira vez que isso me acontece!

Cara, são esses probleminhas aparentemente simples que amargam o humor da maioria das pessoas que tem sangue correndo nas veias.
E nem adianta pensar que poderia ser pior!

2 comments:

Atur disse...

Claro que adianta, podia ser pior é o que há! imagina, alem de tudo isso vc ainda poderia ter levado um coco de passarinho na cabeça. ou sei lá um mendigo poderia ter dado em cima de vc ou algo do tipo!

Samuel disse...

Já dou graças à Deus de não morar em São Paulo (sério, se fosse pra morar aí escolheria uma cidadezinha calma do interior, indo à capital só quando necessário).

Mas não é porque aqui em Teresina (ou Fortaleza) existem menos carros que as barbeiragens não existem. Aliás, aqui oude eu moro, o que falta de carro pra criar o caos o pessoal compensa com burrice.

A situação que mais me emputece: tô andando aqui na faixa da direita.. lépido, fagueiro, serelepe, pimpão.. de repente sinalizo pra entrar à direita e vaáários metros depois viro, quando um motoqueiro me ultrapassa PELA DIREITA na hora que eu tô fazendo a curva.

O que se passa na cabeça do Samuel numa hora dessas? Eu olho pro motoqueiro e penso "hum...traquinas..."? Nããão......