Sinais do universo

Sei que é muita prepotência minha acreditar que o universo manda sinais para mim. Afinal com tanta gente andante neste mundo, o universo (ou seja lá como você preferir chamar) teria mais o que fazer que mandar pequenos sinais para todos, ajudando-os em suas decisões fúteis. Mas às vezes é difícil negar sua existência, acrescentando assim mais um item na lista de crenças bizarras da cobaia.

Um exemplo de algo que acabou de acontecer comigo. Acordei mais cedo hoje porque precisava limpar a casa (coisa que deveria ter feito no fim de semana, mas a preguiça não me deixou), mas a minha mãe estava estranhamente generosa e deixou que eu adiasse a bagaça para o próximo sábado. Então, já que eu acordei mais cedo, poderia ir pra academia. Mas e a vontade de ir até lá pra se matar naquelas maquininhas de tortura? Ela insistiu, fiquei na dúvida, entrei no quarto e fiquei admirando a roupicha de ginástica. De repente, tcharam! Começa a chover e eu não tenho outra saída a na ser continuar no conforto da minha poltroninha e mexendo no meu computador.

Sei que sempre espero por um sinal pra justificar uma decisão não muito racional. Não que o sinal tenha que ser necessariamente lógico, na verdade em sua maioria eles não são e só fazem sentido para mim mesma. Às vezes nem para mim! Saio do trampo com uma vontade doida de tomar um mate com guaraná e açaí, mas puxa, a essa hora de uma noite friazinha? Desviar do meu caminho padrão por causa disso? Ah, mas se o farol ficar vermelho para os carros, eu vou comprar o mate. Hmm... não fechou. Mas se aquela senhorinha esbarrar naquele cara eu vou. E por aí vai, até eu chegar no ponto de ônibus sem nenhum sinal, sem o mate e sem outra alternativa que não seja voltar para casa.

Claro que nem sempre levo a regra dos sinais a sério. Se eu ficar muito tempo sem ir na academia, eu vou mesmo contra a minha vontade (na verdade acho que nunca tive vontade de verdade de ir) e se eu tiver com uma vontade incontrolável de beber mate com açaí e guaraná, vou até onde for preciso para encontrar um. Ou seja, ela só é lembrada em certas ocasiões, de maneiras diferentes e talvez em conjunto com alguma outra regra medonha particular.

Neste momento, talvez eu esteja esperando algum sinal. Também.

1 comments:

Ana Paula Bertoni disse...

"Sei que é muita prepotência minha acreditar que o universo manda sinais para mim. Afinal com tanta gente andante neste mundo, o universo (ou seja lá como você preferir chamar) teria mais o que fazer que mandar pequenos sinais para todos, ajudando-os em suas decisões fúteis."

Nhai, fia... o Universo é grande o suficiente pra mandar sinais pra todos os seres vivos que existem e mais um pouco...rs.

Também acredito nos sinais. Eles existem sim... e gostaria de dar mais ouvido à eles. O livre arbítrio é o melhor dos presentes mas a impulsividade não.
Teimosia é fogo. heh ^^"

O Universo dá uns toques... mas no final somos nós que decidimos e damos rumo a tudo! A última "martelada" é sempre nossa responsabilidade.

^^V